quarta-feira, 20 de maio de 2009

comercial do seminario

terça-feira, 19 de maio de 2009

CURSO DE CAPACITAÇÃO DE MÃO DE OBRA/APLICAÇÃO DE BAMBU COMO MATERIA PRIMA

CURSO DE CAPACITAÇÃO DE MÃO DE OBRA
COM GERAÇÃO DE RENDA.

ARTESANATO, INSTRUMENTOS MUSICAIS E CONSTRUÇÃO CIVIL – TECNOLOGIAS SOCIAS, COM APLICAÇÃO DE BAMBU COMO MATÉRIA PRIMA/


Utilizando o bambu como matéria prima na confecção de:

1. Fundação;
2. Estrutura;
3. Fechamento de paredes,
4. Estrutura de telhado.
5. Instrumentos Musicais: Tambor, flautas, marimbas, reco-reco, pau de chuva, chocalho, etc...
6. Artesanato: técnicas de corte, furação amarração, forração, móveis, luminárias, etc.
7. PAPEL DE BAMBU .
ÁREA TEMÁTICA:
INCLUSÃO SOCIAL, EDUCAÇÃO, MEIO AMBIENTE.


APRESENTAÇÃO

Este projeto tem por intenção oferecer uma nova tecnologia de utilização do bambu, em suas variadas demandas, na sua cadeia produtiva, visando atendimento para População de Baixa Renda, com baixo custo, ecologicamente correto, e propiciando condições de geração de renda, através de núcleos de pessoas envolvidas no processo.

JUSTIFICATIVA
O problema habitacional no Brasil, vem sendo foco de preocupação de Governantes e motivo de reflexão de muitos estudiosos, mas acima de tudo é um motivo de reinvindicação daqueles que só pela luta contínua, alimentam a esperança de adquirir sua moradia.
A política habitacional brasileira, tradicionalmente marcada pelas dificuldades de atender em grande escala o problema de moradia vem se agravando com crescimento demográfico sobretudo nos segmentos da população de baixa renda.
O déficit no Brasil, de acordo com o PENAD-95 (Programa Nacional de Amostra por Domicílio) é de 56.050 (CINQÜENTA E SEIS MIL, CINQÜENTA) unidades habitacionais.
Como uma alternativa de construção com qualidade, ecologicamente correto,
custo baixo, gasto de energia de produção muito baixa, e que ao mesmo tempo permite criar uma fonte de renda aos beneficiários envolvidos, tais como:

• Criação de núcleos de trabalho com a comunidade envolvida, para proporcionar
• acréscimo no número de postos de trabalho nas seguintes atividades:

• Sivicultura - criação de unidades de geração de mudas de Bambu para plantio;
• Criação de unidades de plantio de bambu, nas suas várias espécies;
• Unidade de tratamento e industrialização do bambu, confecção de placas pré-montadas para utilização na confecção das unidades habitacionais, utilizando o sistema de fechamento de parede conhecido como “Esterilha”;
• Tratamento das varas de bambu.

Ainda em módulos separados, o trato de ARTESANATO e INSTRUMENTOS MUSICAIS, atendendo uma parte considerável da Cadeia Produtiva do Bambu

PÚBLICO ALVO
• Núcleos urbanos;
• Núcleos rurais e;
• Núcleos de assistidos por entidades de Movimentos Sociais. indicados pelos parceiros, e apresentados para obtenção do curso.


OBJETIVOS
Integrar solução de moradia e geração de renda em comunidades, aplicando tecnologia de baixo custo, com conservação de energia, aproveitando o bambu.


Por que Bambu ?
Inúmeras razões fazem com que o bambu seja uma planta de características específicas e peculiares que o transforma numa grande solução para problemas sociais, econômicos e ambientais. Podemos destacar algumas como sendo:

1) O bambu é a planta de crescimento mais rápido do planeta. Ele cresce
um terço mais rápido que a árvore que ocupa a segunda colocação em rapidez de crescimento.
Algumas espécies podem crescer até um metro por dia! Há quem diga que pode se praticamente “assistí-lo crescer”. Este padrão de crescimento deixa-o facilmente acessível num pequeno espaço de tempo. Os tamanhos vão de miniaturas até torres de 30 metros.
2) O bambu é considerado um elemento crítico no balanceamento entre oxigênio e dióxido de carbono na atmosfera.Com seu rápido crescimento, ele tem a capacidade de mais rapidamente reflorestar áreas devastadas pelo desmatamento, além de gerar mais oxigênio que as demais lenhosas.Ele diminui ainda a intensidade de luz e protege contra os raios ultravioletas, atuando como um purificador atmosférico e dos solos.

3) O bambu é um substituto viável para a madeira.Ele é um dos materiais mais resistentes para construção.A força de tensão do bambu é cerca de 20% superior a do ferro. Nos países tropicais é possível se construir uma casa inteira estruturada por bambus.

4) O bambu é um recurso natural resistente. Ele pode ser colhido (cortado) anualmente. O bambu foi responsável pelo primeiro reflorestamento em Hiroshima depois da devastação causada pela bomba atômica em 1945.

5) O bambu é versátil por seu curto ciclo de crescimento. Existem mais de 1000 espécies de bambu em todo planeta. A sua diversidade faz com que o mesmo se adapte a vários meios ambientes. Ele pode ter seu primeiro corte entre 3 e 5 anos de seu plantio. As lenhosas levam, dependendo da espécie, de 10 a 20 anos para poderem ser cortadas. O bambu tolera ainda altos índices de precipitações pluviométricas.

6) O bambu pode ter extremo impacto na economia. Este, junto às indústrias ao qual está ligado, já proporciona renda, alimentação e moradia para mais de 2 bilhões de pessoas em todo o mundo. Governos como os da Índia e China possuem juntos reservas florestais de aproximadamente 19.800.000 hectares de bambu e começaram a focar atenção nos aspectos econômicos da produção de bambu.

7) O bambu é uma fonte renovável para produtos agroflorestais. Ele é um
recurso natural de alto rendimento e aproveitamento: compensados de bambu são utilizados em paredes e pisos como revestimentos; sua polpa serve como matéria-prima na produção de papel e celulose; o caule em si pode ser utilizado na construção de casas.

8) O bambu é uma ferramenta para conservação dos solos.Suas propriedades antierosivas, através de seu sistema radicular, criam uma eficiente defesa ao “costurar” os solos deixando- os compactados e coesos ao longo das frágeis margens de rios, áreas desmatadas e em lugares propícios a terremotos e deslizamentos de terra.O bambu reduz significativamente a evasão das águas das chuvas, o que previne a erosão do solo.

EXECUTORES:

Prof. Arquiteto M.Sc. Rubens CARDOSO Junior, Construção Civil, plantio e tratamento.
Designer Industrial Raphael Moras de Vasconcellos, Artesanato e Desenho do Produto, tratamento.
Artista plástico e Lutier Carlos Melo. Instrumentos Musicais, tratamento.
Vania janones , Papel de bambu
contato
amarartesanato@hotmail.com
fone (65)9642 8734

sexta-feira, 15 de maio de 2009

domingo, 10 de maio de 2009

BAMBU NA GASTRONOMIA



BROTO DE BAMBU COM CARNE
500g de takenoko.
300g de carne (bovina ou suína)
1 cenoura
1 cebola
1 dente de alho.
Tempero a gosto

CONSERVA DE BROTO DE BAMBU.
500g de broto de bambu
200g de cenoura
250g de cebola.
300g de pepino japonês.
Caldo
500 ml de água
150 ml de vinagre de álcool
1 dente alho
sal a gosto
pimenta do reino
1 pitada de Ajinomoto

COMO PREPARAR O BROTO DE BAMBU
Cortar brotos novos de bambu em rodelas finas (no máximo de 1 cm) --

Aferventar vária vezes (de 5 a 6 vezes) até ficarem macios;

Se amargar, acrescentar 1 colher (chá) de bicarbonato;

Conservar em água e vinagre (na proporção de 2 partes de água por 1 parte de vinagre), coloque 1 pitada de sal, em recipientes de vidro (nos de maionese, por exemplo).

Usar como palmito.








conheçatangara.blogspot.com
O prefeito em exercício José Pereira Filho fez a abertura oficial do 1º Seminário Mato-Grossense do Bambu, realizado no Centro Cultural. O primeiro dia do evento contou com a participação de mais de 500 pessoas. Para o prefeito o potencial turístico da cidade justifica a preocupação com artesanato.

“O turismo gera empregos, mas para isso é preciso que o Poder Público prepare a comunidade para saber aproveitar essa oportunidade e é isso que está sendo realizado neste momento quando investimentos na difusão dos conhecimentos sobre a utilização do bambu como matéria prima para a confecção de artesanato, instrumentos musicais, enfim”, afirmou José Pereira.

Em seu discurso o secretário municipal de Agricultura e Meio Ambiente Weligton Duarte ressaltou que já existe produção de bambu. “Temos mas não utilizamos porque ainda não havia sido realizado nenhum trabalho neste sentido e este seminário é o ponta pé inicial de um trabalho que, esperamos, será grandioso”, afirmou.

A solenidade contou com a presença do coordenador do Núcleo de Participação em Economia Solidária Francisco Aparecido dos Santos, e da presidente da Associação Mato-Grossense de Artesanato e Reciclagem Vânia Janones. A primeira palestra foi realizada pelo arquiteto Rubens Cardoso, que estuda o bambu desde 1989.

Nesta quinta o seminário continua com palestras sobre designer de instrumentos musicais a partir do bambu, utilização do bambu na culinária, e no artesanato. As palestras começam às 19h00 de hoje no teatro do Centro Cultural.

Assessoria de Imprensa
Postado por Humberto Ferreira (65) 8417-0107 às 08:11
Marcadores: Últimas Notícias